Por que o mercado de trabalho precisa de profissionais seniores?

Por que o mercado de trabalho precisa de profissionais seniores?

Este artigo discute os principais motivos do aumento da valorização dos profissionais seniores do mercado de trabalho em relação. Na parte final, apresenta-se algumas dicas para aumentar a longevidade profissional.

A perda do emprego para um profissional com mais de quarenta anos, até meados da década passada, praticamente significava o ostracismo definitivo da sua carreira original. A partir deste evento, se seguia uma rotina de envio de currículos e de entrevistas, onde a regra era a decepção e explicações do tipo: “seu currículo é bom demais para esta posição”.

Há três anos, recebi a notícia da extinção da área em que trabalhava em uma grande multinacional. Decidi que voltaria a atuar como consultor, o que já havia experimentado oito antes. Quando guardei minha Carteira do Trabalho na gaveta dos documentos, pensei que só a veria de novo no momento da solicitação da aposentadoria do INSS. Para minha surpresa, no final do ano passado, recebi uma proposta para assumir a gerência de tecnologia em outra grande multinacional na minha principal área de expertise. A proposta foi atraente e aceitei este novo desafio aos 53 anos.

Mas o que mudou no mercado profissional nestes últimos dez ou quinze anos em relação aos profissionais com mais de quarenta anos de idade?

O primeiro ponto é relativo às experiências vividas pelos nascidos entre meados dos anos 60 até o final dos anos 70 – a chamada Geração X. Estes profissionais trabalharam durante a transição da era analógica para a digital. Quando comecei a trabalhar os telefones eram escassos, o meio de envio de mensagens era o telex e a área industrial da grande empresa onde eu trabalhava possuía apenas três PCs (o PC que eu usava possuía um caro e lento HD com “incríveis” 10 MB de capacidade). Vibramos com o surgimento do fax, dos e-mails, da Internet e do Google. Assistimos à chegada da automação industrial e sua interligação com os sistemas administrativos. Nada nos assombra e possuímos senso crítico em relação aos avanços tecnológicos. Conseguimos distinguir as ferramentas e os meios das atividades fins (sempre mais importantes).

Esta geração assistiu tantas mudanças que consegue controlar a ansiedade de forma desapaixonada e compreende que problemas acontecem na etapa de implantação. Afinal sabemos que depois da última mudança, virá uma próxima e a seguir mais uma. É preciso valorizar o novo, lembrando sempre do caminho que nos levou até aquele ponto.

Outro ponto importantíssimo é relativo às experiências acumuladas ao longo de vinte ou trinta anos de carreira. Atualmente, é extremamente valioso ter alguém no time capaz de solucionar problemas complexos através de seu conhecimento prático ou através da combinação de diferentes disciplinas. Este profissional pode trazer resultados num prazo muito menor para a empresa. Ele chega num dia na empresa e, às vezes, horas depois já está colaborando com sua experiência.

Um outro aspecto é a mentoria para os profissionais mais jovens. Este é um dos maiores benefícios de contratar profissionais seniores, porque suas experiências e conhecimentos podem acelerar o processo de amadurecimento da equipe. Este profissional pode transmitir diariamente o mais eficiente treinamento on the job.

Com a criação de uma idade mínima para a aposentadoria e seu incremento ao longo dos próximos anos, as carreiras serão cada vez mais longas. O que os jovens de hoje devem fazer para aos cinquenta ou sessenta anos de idade ainda serem cobiçados pelo mercado de trabalho?

O primeiro conselho é a busca incessante por conhecimentos. Seja um especialista em determinados assuntos, conheça-os em profundidade e saiba como inter-relacioná-los com outras áreas. Sempre tente entender o impacto de sua atividade para o sucesso do negócio. Seja crítico! Procure ver os efeitos do seu trabalho e como você pode obter melhores resultados da próxima vez. Se você troca de emprego a cada dois anos, ou antes disso, dificilmente suas experiências serão profundas.

Nunca pare de estudar. Pode ser um novo idioma, como usar um novo software ou, até mesmo, algo longe de sua área de atuação. Por que não estudar história ou filosofia? Leia livros. Atualize-se sobre as tendências de consumo e comportamento.

Não acredite cegamente nos relatórios e nas telas do Power BI. Vá onde as coisas acontecem de verdade. Caminhe no Gemba, como diriam os japoneses. Converse com as pessoas. Não tenha receio de perguntar ou dizer que não sabe a resposta. Trate todos com respeito, independentemente da posição hierárquica. Seja humilde!

Tenha em mente que ninguém fica sábio, apenas porque ficou mais velho. Como diria o bobo da corte para o Rei Lear na famosa tragédia de Shakespeare:

– Tu não devias ter ficado velho antes de ter ficado sábio.

O nosso tempo é muito limitado. Aproveite cada dia para aprender algo novo. Melhore como profissional e como ser humano. Sua longevidade no mercado de trabalho será apenas uma das recompensas.

VICENTE MANERA NETO, Engenheiro Químico, Gerente de Tecnologia da Empresa ADM – Archer Daniels Midland, Partner do IBMérito.

Rolar para cima